Pular para o conteúdo principal

Não fumar, alimentar-se equilibradamente, evitar carnes vermelhas e gordurosas, praticar exercícios físicos regularmente, dormir número satisfatório de horas, ter a vida regrada, não cometer exageros e excessos, e outras tantas recomendações espartanas já está provado: talvez você não viva mais, mas sua vida vai parecer uma eternidade.


Essa brincadeira sugere, singelamente, que as atitudes necessárias para um modo de vida politicamente correto, podem ser medidas que fazem viver mais, mas nem sempre, melhor. Viver mais, não significa viver melhor, automaticamente, ou seja, quantidade não é sinônimo de qualidade.


Há alguns anos, afirmar que existia uma vinculação direta entre o humor e a boa saúde era quase uma heresia para a ciência. Hoje em dia, a medicina em geral e a psiquiatria, em particular, estudam muito a importância do bom humor, dos bons sentimentos e da afetividade sadia na qualidade de vida e na saúde global da pessoa. Sobretudo, na prevenção de doenças e como fator de melhor recuperação de moléstias graves, entre as quais o câncer.

in Gballone

Pesquisas indicam que o bom humor é uma qualidade positiva nos negócios. Além de fazer bem à saúde, ajuda a aproximar as pessoas e a criar laços. Ele ajuda a mostrar seu lado humano, sem enfraquecer sua imagem ou deixá-lo vulnerável. Ele é uma ótima ferramenta em situações difíceis e desconfortáveis, ou até mesmo naquelas ocasiões em que você estiver sendo alvo de um ataque. Imagine a surpresa de seu "algoz", certo de que você perderá o controle, quando você tirar tudo de letra, com bom humor, achando graça da situação.

Usar o humor pode ser uma ótima ferramenta quando cometemos aquela gafe, como tropeçar e cair no meio de uma apresentação. Saber rir de si mesmo é um grande dom, um sinal de autoconfiança e de domínio da situação.

in VoceSa.Com


Bom humor é minha saída sempre, para problemas, para coisas boas, estou sempre de bom humor, é quase viver a vida pela frase "Se estiver no inferno abrace o Diabo" entende?!
Essa semana voltei a trabalhar, as férias chegaram ao fim, por isso já não consigo atualizar tanto, mas como chegou o fim de semana cá estou! Ótima semana pra todos!

Comentários

Lou disse…
Ai, eu sou terrivelmente mau-humorada. E politicamente correta. Hum... Merda.
Adorei a imagem do seu post!
Beijo e ótimo domingo!
Luciana Horta disse…
Sabe Rodrigo, eu aprendi uma coisa: nossa única obrigação nesta vida é sermos felizes. Isto não quer dizer estar alegre e de bom humor o tempo todo. É simplesmente sermos e nos aceitarmos como somos ou estamos. Isto é ser feliz!
Abração com carim da Lu
Anônimo disse…
Put´s...entao deve ser por isso que vivo muito bem...

Otimas dicas...

Beijo grande!
Mary disse…
Olá, Rodrigo...

Vim aqui pra uma missão muito importante. Peço que leia os meus dois últimos posts e, se possível, divulgue.
Obrigada.
katy disse…
oi, amanhã (18/01) é dia do riso. eu não rio tanto quando preciso, mas de vez em quando é necessário né?!!! bjsss e muuuuito humor pra vc.
Jana disse…
por isso faço tudo ao contrário, e vivo melhor. não mais

beijo
Sieger disse…
to com um pé na cova... aaaaa
Babi Mello disse…
Gostei da pesquisa que fala que o bom humor é atraente para os négocios, vou investir mais nisso e sobre voltar a trabalhar é um saquinho né, mas fazer o que...
Dizem que o trabalho engrandece o homen.
Abraços!
Pedro disse…
O ideal é viver melhor, não necessariamente mais.
LISBOA = PORTUGAL

Rodrigo

Não sei se já te disse, mas o meu segundo neto (tenho 4 + uma neta), chama-se Rodrigo e é um puto (aqui = a menino) bué da fixe. Tem 12 anos, é óptimo aluno e é... futebolista nos infantis do Benfica. No melhor pano cai a nódoa: eu sou Sporting...

Ainda que já te tenha mandado uma tonelada de linhas gordas, agora aqui ficam outras mais magras...

Seguidore(a)s precisam-se

Inscreve-te como seguidor(a) do meu blogue – e serás muito feliz. Não pagas nada. Nem taxa de inscrição nem quaisquer quotas. Muito menos IRS ou IMI. Tens a tua (belíssima) foto e o teu blogue aqui anunciado. Fazes novo(a)s Amigo(a)s. E passas a receber mensagens de muita gente e de muitos Países. E eu entrarei no Guiness das Listas de Seguidores. É tudo benefício. E… sem truques. Bué da fixe!!!!! Verás que não te arrependes… Eu reciproque-te, juro pela minha virgindade (1941/09/20).

O meu blogue:
www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com

O meu imeile ou imilio (primorosas criações cá do rapaz):
hantferreira@gmail.com
Espero por ti

Podes escrever em português, español, english, français ou italiano, keu falo. E até umas nicas de Deutsche, bem como umas pouquíssimas frases de Roman.

Se alguém dentre os destinatário já foi convidado ou se já se inscreveu, mil perdões. E todos os que costumam visitar este teu blogue também o podem (e devem…) fazer. hahahahha
++++++++++++++++
Este é um texto tipo. De outra forma, não conseguiria chegar a todos. Peço-vos que compreendam e me desculpem. Não tenho (ainda) o dom da ubiquidade…
rodrigo disse…
Fala aeee meninão, estou registrando meu carinho e atenção. Tô perdido,
Tô ausente,
Tô como água corrente,
mas Tô consciente de tal ausência,,,

Vim me desculpar por estar distante....
Adorei o texto..Tenha um bom domingo... abração
Sedokao Morutaru disse…
é mais ou emnso assim mesmo.
Então vamos sair? (rsrsr) Comer e se deliciar com chantily
:*
Janaina disse…
Ai, Rodrigo! Meu humor nem sempre é tão bom. Mas eu me esforço. Hehehehee.
Adorei o post.
Beijos.
Anônimo disse…
E mais ou menos o que o Lobão prega "E melhor dez anos a mil do que mil anos a dez " , as vezes é tão difícil manter o bom humor ....

Bjs
Lê... disse…
é..bom humor é fundamental pra se levar a vida!
Adorei o post,como tbm adorei sua visita!

Volte,voltarei!rs

beijos

Postagens mais visitadas deste blog

Apego

Um dia, o Buda estava sentado na floresta com alguns monges. Eles tinham acabado de almoçar e já iam começar um compartilhamento sobre o Dharma quando um fazendeiro se aproximou deles. O fazendeiro disse: “Veneráveis monges, vocês viram minhas vacas por aqui? E tenho dezenas de vacas e elas fugiram. Além disso, eu tenho cinco acres de plantação de gergelim e este ano os insetos comeram tudo. Eu acho que vou me matar. Eu não posso continuar a viver assim”.
O Buda sentiu forte compaixão pelo fazendeiro. Ele disse: “Meu amigo, me desculpe, não vimos suas vacas vindo nessa direção”. Quando o fazendeiro se foi, o Buda se voltou para seus monges e disse: “Meus amigos, sabem por que vocês são felizes? Porque vocês não têm vacas para perder” Buda era contra bens materiais? Não! Ele queria  apenas que não fôssemos apegados a elas! Devemos viver no mundo mas sem precisar dele, conviver, amar as pessoas, sem dependência, viver o agora sem expectativas pelo futuro, deixar o passado e viver a etern…

Estresse - Osho

Todas as metas pessoais são neuróticas. O homem sintonizado com a essência das coisas consegue entender, sentir que: "Eu não sou separado do todo, e não há necessidade de estar elegendo e procurando concretizar algum destino por mim conta. Os fatos estão acontecendo, o mundo continua girando - chame isso de Deus...   Ele está fazendo coisas. Elas acontecem por vontade própria. Não há necessidade de que eu trave alguma luta, faça qualquer esforço; não há necessidade de que eu lute por coisa alguma. Posso relaxar e simplesmente ser"   O homem essencial não é um fazedor. O homem acidental é um fazedor. Por isso, o homem acidental vive naturalmente com ansiedade, tensão, estresse, angústia, sentado o tempo todo sobre um vulcão. Esse vulcão pode entrar em erupção a qualquer momento, porque o homem vive num mundo de incertezas e acredita que pode tomar as coisas como certas. Isso gera tensão em seu ser: lá no fundo ele sabe que nada é certo.
O Tarô Zen, de Osho: Carta - Estres…

108 contos e Parábolas Orientais - Por Monja Coen

Sou do tipo que ama andar na livraria esperando que algum livro me escolha, sempre acabo na parte de livros espiritualistas, zens, etc. Essa semana fui escolhido por 108  Contos e Parábolas Orientais, são contos Zens, chamados também de koans o Osho e o SatyaPrem sempre contam algumas dessas histórias, eu até anotava algumas em um caderno, por que são de uma reflexão tão profunda, que precisam sempre ser revisitadas. Agora a maioria delas em um único livro facilita bastante... A monja Coen explica que a partir dos principais nomes da tradição budista que ela faz parte (Soto Zen Budismo) reuniou os principais contos e acrescentou uma reflexão para cada uma delas. É um livro ótimo, mas sou suspeito nessa avaliação.
Bjs.