Pular para o conteúdo principal

Os outros e VC



Diante de uma crítica qualquer, muita gente se sente diminuída, ofendida, com a autoestima abalada. Aliás, você já reparou que vários elogios podem ser anulados por uma única crítica? Você pode até ser bajulada a todo momento... Mas basta alguém chegar e dizer que você deveria ser assim ou assado que tudo muda - mesmo que a pessoa diga isso de maneira delicada. Aquilo bate forte dentro do peito. Nossa, em situações como essa a gente fica totalmente desconcertada! E, automaticamente, adotamos uma postura defensiva.

É... os seres humanos são muito vulneráveis! Só de imaginar que vai ser criticada, você já muda a maneira de agir, já deixa de fazer as coisas como queria, não se coloca na vida como gostaria... E mais: tem gente que gasta uma vida inteira adotando posturas e atitudes falsas para evitar críticas. Então, preste atenção! Mesmo que você abra mão de ser espontâneo para assumir diferentes modelos, jamais agradará a todos. Isso é impossível! E mais: você sempre será criticada por algum motivo.

Quero que você perceba que as críticas não terão esse efeito arrasador se você não der importância a elas. Isso mesmo! Se as pessoas fossem um pouco mais inteligentes, não escutariam crítica alguma. Ou escutariam, mas com muita reserva: "Fulano me disse tal coisa? Será que é verdade? É melhor eu verificar se o que ele disse faz sentido". Você deve tirar conclusões com base na sua própria observação. E o detalhe: sempre com a mente lúcida e tranquila, e com os pés firmes no chão.

O problema de receber críticas é quando a gente dá muito crédito à opinião dos outros. O que isso significa? Que você sempre se coloca em segundo plano. Desde pequenina, dá o lugar aos outros (não importa se está muito cansada), não machuca os outros (não importa quais sejam seus sentimentos)... Tudo é para os outros. O outro vai entrando de tal maneira em nós mesmos que temos um departamento na nossa cabeça que se chama Os Outros. Pode não haver ninguém controlando suas atitudes, mas você já está se justificando, dando satisfações. Que horror! 

Você? Ah, você está sempre em segundo plano, vai ficando lá no fundinho. E é por isso que as críticas magoam tanto seu coração. O segredo é um só: ponha-se sempre em primeiro lugar. Não estou estimulando o egoísmo, mas a autovalorização e a autoestima. Quero que as pessoas deem importância aos próprios dons e escutem os próprios sentimentos e emoções.

Acredite! O sucesso vem quando a gente deixa de ligar para as opiniões dos outros. Se você cair na loucura de ouvir o mundo para se orientar, vai acabar se arrebentando. E essas pessoas que você tanto considera serão justamente as primeiras a lhe desprezar, a largar você no meio do caminho. Porque a lei é essa: você só pode dar valor a quem tem valor. 

Sempre que se deparar com uma crítica, pare e pense: "O que importa é o que eu sinto, não o que essa pessoa sente. O importante é o que eu ouço, não o que o outro fala. O essencial é o que eu penso, não o que o fulano ou o sicrano pensam. Dou valor àquilo que realmente sinto. A natureza me fez responsável por mim e assim o serei - para sempre!". 

Luiz Gasparetto
(Publicado originalmente na MdeMulher)

Comentários

FOXX disse…
ah, eu gosto de criticas, acho q o trabalho só cresce qndo ele é criticado.
Anônimo disse…
Acho que dá para equilibrar.Ouvir o que você sente mas também ponderar as críticas.Pelo menos as críticas que não vierem carregadas de inveja.

Quanto texto ao lado direito que nos convida a refletir, não gostei muito.Parece um convite a inércia:

"Pare de Buscar
E fique feliz com o que você tem
Para de fazer
E deixe as coisas acontecerem"

Eu sou a prova viva de "que deixar as coisas acontecerem" não traz nada de positivo.

Se fosse algo do tipo "continue suas buscas sem deixar de apreciar o que você tem" aí sim teríamos um conselho que cabe na vida real.De novo alvo que está sendo errado é o equilíbrio.
Rodrigo B. disse…
Fox quanto a trabalho talvez, quanto ao que somos só existe crítica valida se existe um ideal, um padrão, fora isso o outro nunca pode saber como "deveriamos" agir..
Anônimo disse…
cara obrigado eu passei sei la uns 8 anos da minha vida seno alguem que eu nao sou e so agora eu oercebi que isso nao poderia dar certo.
Agora que eu estou nessa nova etapa procurando descobrir que meu realmente sou eu encontrei esse texto vlw ele me ajudou muito
LUSKA disse…
Como vc disse, nos sentimos mal com a critica dos outros quando acreditamos nela como sendo verdadeira. É como já disse em um outro comentário. Por exemplo, se eu disser que vc é feia, isto é mentira, pois ninguém é nada, nem feio nem bonito, isto é uma avaliação pessoal, com critérios individuais, sendo assim o que vc acha ou o que eu acho não pode ser determinante, não é a verdade e sim uma opinião. A questão é que acreditamos que o que a pessoa falou em tom de afirmação é verdade, dando ênfase no "é". Ex: Vc "é" feia, vc "é" chata, pois quando é para ofender ou criticar dize-mos que a pessoa "é" para que ela acredite que ela é mesmo feia, se ela concordar comigo, ou seja, se eu estou falando que ela é feia, então é porque é mesmo, e se mais pessoas dizem então é verdade. NÃO É VERDADE! Porque são opiniões subjetivas, pessoais, e ninguém é nada, e sim estamos.
LUSKA disse…
Porque as pessoas desequilibradas querem sempre ser boazinhas e dão ouvidos aos outros, sempre querendo agradá-los e se "deixando em segundo plano" como vc disse. O que podemos observar? Que pessoas assim estão em busca de algo, e só buscamos aquilo que nos falta e estas pessoas estão buscando atenção, afeto, reconhecimento, carinho. Este comportamento surge justamente da falta destes. Mas o que acontece, a pessoa não obtém o que ela busca, porque as pessoas não dão, e ela sempre tentando agradar para ter de recompensa migalhas de sorrisos falsos, aproveitadores. É difícil para estas pessoas pararem de serem boazinhas porque elas querem o que elas não tem, atencao/afeto e sendo boazinhas as vezes recebem algum reconhecimento distante. O problema esta na base, os pais que não deram atenção, amor, carinho, reconhecimento, aprovação, incentivo aos filhos. E se os pais não dão isto, estas crianças crescem e buscam estas coisas que são necessárias de outras formas. Por exemplo: Sendo uma vadia querendo o reconhecimento e aprovação da figura masculina e com isto os homens gostam dela, admiram, mas não é a mesma coisa, é simplesmente o efeito da causa, a reação, a consequência de falta de afeto que gerou a busca pelo que se sente falta.
Anônimo disse…
http://prixviagrageneriquefrance.net/ viagra prix
http://commanderviagragenerique.net/ viagra
http://viagracomprargenericoespana.net/ comprar viagra
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ viagra acquisto
D.Marques disse…
Quem disser que gosta de ser criticado, ou é um hipócrita ou está mentindo. Na verdade, acho que devemos escolher as pessoas a quem daremos abertura pra críticas e ligar o foda-se pro resto.

Postagens mais visitadas deste blog

Apego

Um dia, o Buda estava sentado na floresta com alguns monges. Eles tinham acabado de almoçar e já iam começar um compartilhamento sobre o Dharma quando um fazendeiro se aproximou deles. O fazendeiro disse: “Veneráveis monges, vocês viram minhas vacas por aqui? E tenho dezenas de vacas e elas fugiram. Além disso, eu tenho cinco acres de plantação de gergelim e este ano os insetos comeram tudo. Eu acho que vou me matar. Eu não posso continuar a viver assim”.
O Buda sentiu forte compaixão pelo fazendeiro. Ele disse: “Meu amigo, me desculpe, não vimos suas vacas vindo nessa direção”. Quando o fazendeiro se foi, o Buda se voltou para seus monges e disse: “Meus amigos, sabem por que vocês são felizes? Porque vocês não têm vacas para perder” Buda era contra bens materiais? Não! Ele queria  apenas que não fôssemos apegados a elas! Devemos viver no mundo mas sem precisar dele, conviver, amar as pessoas, sem dependência, viver o agora sem expectativas pelo futuro, deixar o passado e viver a etern…

Estresse - Osho

Todas as metas pessoais são neuróticas. O homem sintonizado com a essência das coisas consegue entender, sentir que: "Eu não sou separado do todo, e não há necessidade de estar elegendo e procurando concretizar algum destino por mim conta. Os fatos estão acontecendo, o mundo continua girando - chame isso de Deus...   Ele está fazendo coisas. Elas acontecem por vontade própria. Não há necessidade de que eu trave alguma luta, faça qualquer esforço; não há necessidade de que eu lute por coisa alguma. Posso relaxar e simplesmente ser"   O homem essencial não é um fazedor. O homem acidental é um fazedor. Por isso, o homem acidental vive naturalmente com ansiedade, tensão, estresse, angústia, sentado o tempo todo sobre um vulcão. Esse vulcão pode entrar em erupção a qualquer momento, porque o homem vive num mundo de incertezas e acredita que pode tomar as coisas como certas. Isso gera tensão em seu ser: lá no fundo ele sabe que nada é certo.
O Tarô Zen, de Osho: Carta - Estres…

108 contos e Parábolas Orientais - Por Monja Coen

Sou do tipo que ama andar na livraria esperando que algum livro me escolha, sempre acabo na parte de livros espiritualistas, zens, etc. Essa semana fui escolhido por 108  Contos e Parábolas Orientais, são contos Zens, chamados também de koans o Osho e o SatyaPrem sempre contam algumas dessas histórias, eu até anotava algumas em um caderno, por que são de uma reflexão tão profunda, que precisam sempre ser revisitadas. Agora a maioria delas em um único livro facilita bastante... A monja Coen explica que a partir dos principais nomes da tradição budista que ela faz parte (Soto Zen Budismo) reuniou os principais contos e acrescentou uma reflexão para cada uma delas. É um livro ótimo, mas sou suspeito nessa avaliação.
Bjs.