Pular para o conteúdo principal

Livros, escrita e reflexões



Sempre que sobre um tempo, gosto de voltar no passado do blog e reler posts antigos, alguns são pessoais , alguns reflexivos, outros apenas comentários de textos que gostei.

Quando era mais jovem escrevia bastante, poemas, crônicas, ou apenas divagações sobre a vida. Foi isso que me fez escolher a faculdade de Letras ( na época estava na dúvida entre Letras e Psicologia), na verdade a faculdade de Psicologia também ficava mais longe e na época a de Letras foi a que mais me interessou, não tinha o sonho de ser professor, queria me formar e sabia que gostaria do curso, e assim aconteceu, tanto que desde então trabalho em Banco e não tive nenhum contato com o magistério (apenas o estágio e as monitorias que dava na faculdade).

Minha matéria preferida era Literatura, adorava entender o que estava “por trás” do texto e tinha bastante facilidade nisso, a maioria das minhas amigas não gostavam, mas eu sim, aulas dos clássicos como Clarice Lispector era algo sensacional pra mim. Mas sabia que viver de literatura era uma utopia e no cenário brasileiro, quase um suicídio.

Com a correria dos dias, escrever foi ficando em segundo plano, mesmo lendo bastante, fiquei apenas absorvendo a escrita dos outros, mas recentemente a vontade de escrever voltou, como uma ânsia de falar algo, de expressar de alguma forma o que sou. Vou me dedicar mais a isso, faz tão bem. Minha pós na área de Letras ainda terá que esperar. Primeiro irei fazer a de Economia e Finanças, para dar um UP ao meu currículo, visto que me voltei para o mundo capitalista e deixei o mundo literário em segundo plano (risos)

Até mais..
Bjs

Comentários

FOXX disse…
pois é, q bom q vc tem um bom emprego então né?
Rodrigo B. disse…
Gosto do que faço Fox, pois também tem muito a ver com minha personalidade, tem correria, desafios..enfim ^^

Postagens mais visitadas deste blog

Apego

Um dia, o Buda estava sentado na floresta com alguns monges. Eles tinham acabado de almoçar e já iam começar um compartilhamento sobre o Dharma quando um fazendeiro se aproximou deles. O fazendeiro disse: “Veneráveis monges, vocês viram minhas vacas por aqui? E tenho dezenas de vacas e elas fugiram. Além disso, eu tenho cinco acres de plantação de gergelim e este ano os insetos comeram tudo. Eu acho que vou me matar. Eu não posso continuar a viver assim”.
O Buda sentiu forte compaixão pelo fazendeiro. Ele disse: “Meu amigo, me desculpe, não vimos suas vacas vindo nessa direção”. Quando o fazendeiro se foi, o Buda se voltou para seus monges e disse: “Meus amigos, sabem por que vocês são felizes? Porque vocês não têm vacas para perder” Buda era contra bens materiais? Não! Ele queria  apenas que não fôssemos apegados a elas! Devemos viver no mundo mas sem precisar dele, conviver, amar as pessoas, sem dependência, viver o agora sem expectativas pelo futuro, deixar o passado e viver a etern…
"Você só se harmoniza com as leis da prosperidade quando pode se libertar do medo da pobreza que faz você perseguir o dinheiro e colocá-lo em primeiro lugar, o que pode, durante uma fase da sua encarnação até fazer com que você acumule alguma coisa, mas não significa que a prosperidade lhe visitou. Porque ter coisas não significa ser próspero. O fato de você ter não significa que se harmonizou com as leis da abundância. É possível que a prosperidade e a abundância te visitem apenas se você se libertou do medo da escassez e experienciou a plenitude. Então, todo o tesouro do universo está a sua disposição, mas você não se apega a nada porque sabe que não é seu; apenas está ali para você usar e servir ao propósito divino. Essa é a verdadeira riqueza e a grande sabedoria: Você usufruir das belezas do mundo, mas não ser escravo dele". 
Sri Prem Baba
---
Segunda começo um novo ciclo, estou de trabalho novo. Muito bom ter seu currículo reconhecido e na primeira entrevista depois do úl…

Estar junto não é estar presente!

Estar junto não é o mesmo de estar presente, porque pode-se estar longe e se fazer notar, pode-se não se ver e se fazer sentir.
Se fazer presente é algo que está nos detalhes. Uma ligação fora de hora, uma mensagem no meio da madrugada, o carinho na voz, uma visita surpresa, todos pequenos detalhes que somados fazem a grande diferença.
Mas cada um é o que é, sabe o que sabe, ninguém pode cobrar nada de ninguém, esses detalhes devem ser  espontâneos e não exigidos! Por isso que amor não se declara, mas se demonstra. Enfim, Next! E roda da vida não para de girar..
Ótimo domingo!